Chapada Diamantina: ótimas dicas de roteiro para você fazer já suas malas

Posted on

A Chapada Diamantina é o paraíso de aventureiros que gostam de ambientes selvagens e distantes de tudo. O destino ao centro da Bahia é cartão-postal do Estado e revela espaços construídos pela natureza durante milhares de anos.

Saiba agora todas as dicas sobre esse lugar incrível, para curtir muito sua experiência turística.

Porque ir à Chapada Diamantina

O Parque Nacional da Chapada Diamantina tem mais de 1500 km², e é um imenso lugar que reúne cachoeiras, grutas, piscinas naturais, trilhas gigantes, vegetação única e cânions incríveis.

Além disso, a Chapada Diamantina é um ambiente mais do que perfeito para a prática do ecoturismo. Trekking, rapel, escalada, mergulhos e outros esportes de aventura completam a rota das muitas atrações desse lugar.

Fora todas essas opções, nesse lugar você tem a chance de visitar alguns dos sítios arqueológicos mais antigos do país. Ainda que em propriedades privadas, você tem acesso a alguns deles pagando taxas acessíveis.

E então, você ainda tem dúvidas de que esse destino deve ser incluído na lista dos lugares que você deve visitar já?

Quando embarcar

Como em outros roteiros, o período do verão é o de alta temporada na Chapada Diamantina. Mas com antecedência você consegue comprar passagens para datas de dezembro a fevereiro, em valores mais interessantes.

Se você busca épocas menos acaloradas, vá de março em diante, em que o clima é mais seco. Nessa época acontecem alguns dias de chuvas, mas poucos o suficiente para não ‘molhar o seu passeio’!

Vale lembrar que se você ainda gosta de viajar e curtir um som ao vivo, a Chapada Diamantina oferece isso em grande estilo. O Festival de Lençóis é a atração musical mais antiga da cidade que dá nome ao evento. Nele, artistas brasileiros agitam o município que ferve de gente para vê-los!

Dica: acompanhe sempre pela web quando o Festival será feito, já que suas datas não são fixas todos os anos!

Veja também: 4 razões para visitar a Bahia nas próximas férias

O que levar para esse destino

Para essa viagem prepare uma boa mochila e suas pernas, já que os morros e trilhas vão te convidar para grandes caminhadas.

Fizemos uma lista dos itens essenciais para encarar esse roteiro. Confira:

  • Garrafas d’água
  • Botas para trilha, com solado bem resistente
  • Roupas para caminhada
  • Bonés ou chapéus
  • Protetor solar
  • Repelente
  • Mochila grande
  • Alimentos práticos (para comer durante os passeios)
  • Roupas de banho
  • Snorkel e máscara para mergulho
  • Máquina fotográfica (na falta, use o celular mesmo!)

Roteiros pela Chapada Diamantina

Morro do Pai Inácio

A formação rochosa de mais de mil metros de altura coloca você no topo da Chapada Diamantina. A vista, com ângulo de 360 graus, privilegia sua observação de toda a paisagem do entorno, com morros íngremes e imensos.

A subida para o cume do Morro do Pai Inácio é feita a pé e pode ser acompanhada de um guia. O monte fica a só 20 minutos de Lençóis, e vale cada pernada para alcançar o seu cume!

Cachoeira Poço do Diabo

O nome pode assustar, e é para ficar com medo mesmo de sua profundidade. A piscina formada pela cachoeira atinge até 6 metros de fundura.

O local que hoje é usado para banhos, rapel e tirolesa; antigamente era usado para garimpo. E reza a lenda que o nome Poço do Diabo surgiu a partir de uma história sobre escravos negros. Eles teriam roubado ouro do garimpo, mas ao fugirem, morreram afogados no poço fundo.

Lendas à parte o local tem águas geladas e transparentes e fica bem próximo de Lençóis.

Cachoeira da Fumaça

Uma das maiores cachoeiras do país fica na cidade de Vale do Capão, um município minúsculo e desprovido de grandes tecnologias. Internet, agências bancárias e outras regalias ficam de fora da cidadezinha.

Se alguns serviços faltam no município, lá você encontra uma grande atração turística que compensa. A Cachoeira da Fumaça tem 340 metros, e não dá para saltar do seu topo, com certeza! A queda é tão alta que, de seu topo você não consegue ver muito bem o poço que se forma lá embaixo.

Gruta Torrinha

A Gruta Torrinha mais parece um lugar de outro planeta, por causa de suas estalactites e estalagmites nada comuns.

A gruta possui passagens estreitas e salões grandes, que só são visíveis por meio de lanternas. A visita ao local deve ser monitorada, dado o perigo do espaço e suas restrições — a atração fica numa propriedade particular.

Basta agendar, com alguma companhia de turismo, uma visita a local que fica na cidade de Iraquara. É pagar o ingresso para desfrutar de toda sua beleza!

Gruta da Pratinha

A Gruta da Pratinha fica num balneário de mesmo nome, e impressiona por suas águas azuis claras.

Lá, a prática de flutuação — nadar sob a superfície d’água com snorkel e máscara — é frequente. O lago da gruta oferece um ambiente tranquilo para viver essa experiência relaxante. Peixes, vegetação e formações abaixo d’água são admirados por visitantes do espaço, sem pressa.

Se você não tiver os equipamentos para o mergulho, é só alugar lá mesmo!

Vale do Capão

O Vale do Capão é o local onde você saboreia diversos pratos, além de curtir o clima regional da Chapada da Diamantina.

A comida de rua predomina na praça central do Vale, e o pastel de palmito de jaca é o destaque da área. Feito com jaca ainda verde, a receita leva tomate, cebola, pimentão e outros legumes e temperos.

Além dessa iguaria, no Vale do Capão você também encontra muitas outras delícias na feira de rua. O local é um grande ponto de encontro de turistas e de jovens aventureiros em busca de uma boa culinária vegetariana.

Além da comida, as ruas e casas do vilarejo valem a visita e muitas fotos!

Galeria Arte & Memória

Para os apaixonados por história, em Igatu, cidade na Chapada Diamantina, fica a Galeria Arte & Memória. O museu preserva muitas histórias do garimpo da Bahia, num museu a céu aberto.

Objetos, fotos e ruínas de casas usadas por garimpeiros no começo dos anos 1930, ficam no espaço cultural. Além disso, há exposições frequentes de obras de artistas contemporâneos no museu!

Complexo Arqueológico Serra das Paridas

Com o total de 18 sítios arqueológicos, o Complexo Arqueológico Serra das Paridas têm quatro áreas abertas para visitação.

O nome do sítio deriva das pinturas nas pedras, que em sua maioria representam mulheres grávidas em posição agachada. Há ainda numa pedra, um enorme desenho de um ser que parece extraterrestre, que vira foco de olhares e fotos!

O melhor modo de fazer essa visita é com um guia que já tenha contato com os funcionários do local. O sítio fica num terreno particular e requer agendamento para receber turistas.

Pela web você encontra várias empresas que fazem esse roteiro. Separamos aqui a Zentur e a Extreme EcoAdventure para você começar suas pesquisas!

Como chegar a essa região

Se você vai sair do sul do país, pode optar por ônibus ou avião. A Azul realiza voos para a região, a partir de vários locais do Brasil. Já se você é um soteropolitano e quer fazer um passeio de carro até o local, coloque na rota do GPS a BR-242.

Uma vez na Chapada, você pode ir a vários lugares a pé mesmo, já que existem morros e cachoeiras próximos uns dos outros. E para locais mais distantes, que você quer colocar em seu roteiro, vá de carro — alugue ou chame algum por aplicativos de transporte!

Veja também: O guia definitivo das 12 melhores atrações de Salvador

Onde ficar

A maior parte das estadias na Chapada Diamantina é simples e acolhedora. Muitas dispõem de quartos que lembram boas casas de campo.

A Pousada Recantos dos Mineiros oferece internet, café da manhã farto e boa localização a menos de um quilômetro da Chapada. Ou seja, é acordar, tomar café e ir para as trilhas!

Já a Pousada Canto no Bosque fica próxima ao centro histórico de Lençóis, e oferece quartos grandes, piscina, estacionamento, entre outros serviços.

Como pesquisar não sai caro, vale a pena investir um tempo buscando uma opção em sites como Booking e TripAdvisor. Eles disponibilizam comentários e classificações de pessoas que já foram ao local, sobre o espaço em que você deseja se hospedar, comer, etc.

A Chapada Diamantina é um imenso local de apreciação da natureza e descobertas de raízes milenares do país. Esse destino é um roteiro memorável para quem vive em busca de experiências turísticas intensas.

Conte para a gente, aqui abaixo, qual o roteiro ideal que você montou para conhecer a Chapada Diamantina, e compartilhe com outros turistas do mundo!

Felipe Paciullo
Formado em jornalismo, é especializado em redação e produção de conteúdo para web, com foco em SEO. Suas áreas de escrita são principalmente ciclismo, gastronomia, vinhos, e saúde e bem-estar. No Experiências Brasil, somou esses conhecimentos e escreveu nas área de viagens e turismo – https://www.linkedin.com/in/felipe-paciullo/