Pescados e influência indígena dão toque especial aos pratos rondonienses

Posted on

O monumental Rio Madeira, principal afluente do Rio Amazonas, com mais de 3 mil km de extensão, fornece ao turismo gastronômico de Rondônia o principal ingrediente: o peixe pirarucu. Ele é base do prato típico da capital Porto Velho. O estado é o principal produtor e exportador da espécie. Além da natureza generosa, a culinária é complementada pela cultura indígena, que contribuiu para a criação de pratos saborosos e práticos.

Conhecido como o bacalhau da região amazônica, o pirarucu é o maior peixe de água doce do Brasil. Ele chega a medir três metros. O nome é uma referência à cor da sua cauda: pirá quer dizer peixe e, urucum, vermelho. O sabor inigualável garante uma experiência gastronômica incrível, especialmente aos turistas.

Pirarucu Rondon é sensação em Porto Velho

Desde 2016, o pescado inspira chefs a fazerem o prato que é símbolo da capital Porto Velho. O “Pirarucu Rondon” foi idealizado pelo chef Manoel de Jesus Evangelista da Silva, que treinou a rede gastronômica da capital. Ele tem postas fritas e acompanhadas com ingredientes típicos da região, como jambu, tucupi, macaxeira, banana e batata doce. O jambu, inclusive, deixa sua marca exótica ao dar uma sensação de dormência na boca.

Leia também: 5 pratos típicos deliciosos da gastronomia do Amapá

O nome da iguaria é uma homenagem a Marechal Cândido Rondon, militar sertanista, nascido em 1865, que desbravou a região Norte sem entrar em conflitos com os indígenas. Diz a sua biografia que certa vez ele levou uma flechada de um índio e ordenou que seu exército debandasse para evitar uma batalha. O próprio nome do estado é uma lembrança do legado do militar.

Pratos picantes desafiam paladares mais resistentes

O ingrediente principal de outros pratos saborosos da gastronomia rondoniense também vem dos rios. Os peixes tambaqui e tucunaré são o carro-chefe da caldeirada, que é uma mistura dos pescados com os ingredientes nativos da região, servidos acompanhados de pirão. A receita une ainda batata, ovo, pimentão e muitos condimentos.

Já o tacacá, muito comum nos estados da região Norte, é uma receita que une camarão, goma de mandioca e jambu. Muito delicioso, ele também mistura o tucupi (caldo amarelado) e leva bastante pimenta. A origem do prato é indígena, demonstrando a influência na região.

Outro prato de origem indígena no turismo gastronômico dos restaurantes rondonienses é a damurida. Mas, para degustá-lo é preciso ter um paladar resistente ao gosto picante da pimenta. O prato reúne vários tipos de pimenta, carne de boi ou de peixe, verduras e legumes cozidos juntos. A damurida é servida com farinha e tapioca.

Sobremesas têm frutas nativas como ingrediente principal

As mais frondosas árvores frutíferas de Rondônia recheiam os cadernos de receita com a combinação de sabores. As sobremesas mais requisitadas são a torta de cupuaçu e o doce de buriti, que valem a pena ser provados.

O cupuaçu tem um sabor muito parecido com o do cacau. Popular na região Norte, a fruta é a base principal da torta de cupuaçu. A polpa é usada para rechear a torta, que pode ser acompanhada de creme de castanha. O cupuaçu também é muito utilizado para fazer bombons e outros doces.

Outra sobremesa de dar água na boca é o doce de buriti, ou muriti, como também é conhecido. O fruto de cor avermelhada é típico das regiões Norte e Nordeste do país, sendo bastante apreciado em Rondônia.

O buriti vem da palmeira que leva o mesmo nome e se espalha nas margens dos rios. É rico em vitamina A, B e C, além de cálcio, ferro e proteínas. Para fazer o doce, é preciso misturar a massa de buriti com açúcar e deixar descansar por dois dias. O doce pronto pode ser armazenado por até um ano.

Você já provou outras delícias da culinária de Rondônia? Deixe seu comentário.

Gizele Silva
Formada em jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, no Paraná, e especialista em Mídia, Política e Atores Sociais. É produtora de conteúdo para web e redes sociais na área de turismo e empreendedorismo – https://linkedin.com/in/maria-gizele-da-silva-39935a110/.